A Mulher Samaritana – The Chosen

A mulher samaritana
7 minutos para ler

Dedique um momento para assistir esta cena da Temporada Um, Episódio 8, de The Chosen.

https://www.youtube.com/watch?v=rAEsRiUBO_8

Venha à fonte

Para dar um pouco de contexto para a cena, Jesus e seus seguidores estão na estrada novamente, a caminho de seu próximo local de ministério, quando percebem que ficaram sem comida. Jesus incentiva o grupo a ir até uma cidade a apenas uma milha de distância para pegar suprimentos, e quando um dos seguidores expressa preocupação em deixar Jesus sozinho, Ele responde: “Vou ficar bem.” Ele então aponta para um poço que está ao longe. “Encontrem-me nesse poço quando voltarem.” A cena que você está prestes a assistir mostra o que acontece exatamente nesse poço. 

Após assistir a cena, tire um momento para ler a passagem  das Escrituras em que a cena foi baseada – João 4:1-30 

Você pode ver na cena de “The Chosen” e acompanhar no texto em que a cena se baseia: a mulher que Jesus encontra no poço está sofrendo de uma profunda sede espiritual causada por rodadas de rejeição. 

Aqui está uma mulher que foi deixada espiritualmente sedenta pela rejeição religiosa que enfrentou como samaritana. Os judeus simplesmente não consideravam o povo dela como verdadeiros judeus.

Os samaritanos tinham abraçado seus próprios lugares e práticas de adoração, e muitos deles até se casaram com gentios. Eles eram desdenhosamente rejeitados como “meio-irmãos” de segunda classe. Não era incomum ouvir um judeu oferecendo uma oração de agradecimento com desprezo por não ter nascido samaritano. 

Mas aqui está Jesus – Ele próprio um judeu – ultrapassando as duras linhas traçadas entre os dois campos religiosos. Ele fala surpreendentemente de uma adoração futura que transcende onde tanto judeus quanto samaritanos estabeleceram lugares e práticas – um tempo “quando os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade”. Essas palavras devem ter falado profundamente a uma sede provocada pela rejeição religiosa. 

Mas e quanto à sede espiritual provocada pela rejeição social? Inúmeros estudiosos observaram o quão estranho é o fato de a mulher estar no poço naquele momento. O meio-dia não era quando as mulheres buscavam água no antigo Oriente Médio. Essa tarefa era concluída na frescura da manhã. E o fato de estar sozinha – isso também é curioso.

As mulheres costumavam buscar água em comunidade. Parece seguro presumir que ela não tem muitos amigos – se é que tem algum. Por quê? O restante da história pode levar o leitor a várias conclusões. Talvez ela esteja socialmente do lado de fora porque tomou decisões relacionais ruins. Talvez decisões relacionais pobres tenham sido tomadas por ela, e mesmo que não seja culpa dela, as suspeitas de seus vizinhos (sem mencionar o moinho de fofocas) a tornaram uma pária comunitária.

Talvez seja uma combinação de ambos. O que sabemos é que ela é socialmente rejeitada. Mas aqui está Jesus ultrapassando as duras linhas traçadas entre o socialmente aceitável e o socialmente rejeitado. Ele a vê. Ele vai até ela. Ele senta com ela. Ele conversa com ela. Ele a ouve. Tudo isso deve ter falado a uma sede profunda provocada pela rejeição social. 

Mas ainda outra sede permanece – uma provocada pela rejeição relacional. Que palavras penetrantes de Jesus para a mulher: “Você está certa ao dizer que não tem marido. O fato é que você já teve cinco maridos, e o homem com quem vive agora não é seu marido.” Novamente, isso pode levar a várias conclusões. Ela foi rejeitada por cinco homens? Ela fez a rejeição? Talvez ela tenha desempenhado o papel de rejeitada e rejeitadora!

Não há como saber. O que se sabe é que sua vida é marcada por rejeição relacional. Isso torna outra teoria sobre por que ela está sozinha no poço bastante intrigante: talvez ela esteja sozinha por escolha. Por que permitir que mais alguém entre quando quem quer que tenha permitido antes sempre a deixou sozinha novamente (e mais solitária do que nunca)? Feridas relacionais possuem o poder de inspirar a crença de que ninguém a quer em suas vidas.

Mas aqui está Jesus ultrapassando as duras linhas traçadas por uma alma rejeitada, destinada a proteger essa alma de mais danos. O fato de Ele sequer querer estar com ela – tudo isso deve ter falado a uma sede profunda provocada pela rejeição relacional. 

E uma fonte final de sede – uma sede provocada por suas próprias mãos. Novamente, não há como saber o que exatamente aconteceu na vida dessa mulher. 

O que parece claro, no entanto, é que ela passou anos entrando e saindo do caminho de vida para o qual Deus a chamou – um caminho de vida que teria sido muito mais rico para ela – e isso custou-lhe tudo. Não é difícil imaginar que ela provavelmente acreditava que isso havia custado qualquer chance de um convite para voltar ao caminho de vida para o qual Deus a havia chamado. 

Mas aqui está Jesus ultrapassando a linha dura que  a mulher havia traçado entre ela e Deus. Seu convite  para que ela retorne a Deus e ao caminho de Deus deve ter falado a uma sede profunda provocada por  sua rejeição de uma vida mais rica. Jesus cruza  todas as linhas duras desenhadas por anos de rejeição, para que Ele possa se sentar em um poço e convidá-la a vir. 

“Quem beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede” – João 4:14

Suas palavras devem ter falado a suas muitas sedes. Ele deve ter falado a suas muitas sedes. Suas palavras, sua própria natureza e pessoa falaram às suas muitas sedes. Você pode ver isso na cena de “The Chosen”. Você pode ver a alegria dela no final da cena de “The Chosen”. É engraçado, não é? Jesus foi quem pediu um gole de água – mas Ele o fez sabendo muito bem que ela era quem precisava de um. 

Para Reflexão: 

  • Embora as divisões religiosas que enfrentamos em diferenças denominacionais ou tradições de fé não sejam tão profundas e severas quanto aquelas que separavam judeus de gentios, as divisões são dolorosas e todos já experimentamos a rejeição religiosa. Como você experimentou esse tipo de rejeição? Como Jesus trouxe cura para essas feridas? 
  • As razões pelas quais podemos nos encontrar socialmente do lado de fora são inúmeras demais para contar. A ostracização raramente é justificada e sempre é dolorosa. Você deseja ser visto e ouvido. Algo o levou a ser socialmente ostracizado? Como Jesus trouxe cura para essas feridas?

Texto extraído do Devocional Curto – The Chosen Come and See Foundation

Siga o The Chosen em suas redes sociais

https://www.youtube.com/@thechosentvbr
http://instagram.com/thechosentvbr
http://facebook.com/thechosentvbr
http://tiktok.com/@thechosentvbr
http://twitter.com/thechosentvbr

Você também pode gostar

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.